Quando se ganha uma robusta aposentadoria como prêmio por anos e anos de corrupção...

É mais uma absurda excrescência do nosso país, de nossas leis e de nossas instituições.

Um desrespeito para com a população e para com o povo trabalhador. Uma afronta para com a sociedade.  

O Conselheiro do Tribunal de Contas do Rio de Janeiro, Jonas Lopes de Carvalho Júnior, delator na Operação Descontrole, desdobramento da Lava Jato, que confessou o recebimento de propinas na corte de contas, não ficará preso, não devolveu a grana surrupiada dos cofres públicos, foi aposentado a pedido e vai receber uma aposentadoria de 30.400 reais.

Esses crimes, de acordo com a acusação formulada pelo Ministério Público Federal (MPF), ‘renderam vasta quantidade de dinheiro em espécie, que foi repartida entre os participantes em encontros realizados na sala da presidência do TCE, mediante a entrega de envelopes e pastas contendo os valores ilícitos’.

Durante cerca de 17 anos, ainda segundo o MPF, conselheiros de contas “estruturaram um ajuste criminoso de solicitação e recebimento de vantagens indevidas, oferecidas por interessados em processos submetidos a análise da Corte”.

O conselheiro, por decisão já publicada no Diário Oficial, está aposentado, livre, leve e solto e com um polpudo salário vitalício no bolso.

Uma indecente e inaceitável vergonha.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça