Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

A Sociedade Revoltada avisa: NÃO MEXAM COM AS NOSSAS CRIANÇAS (veja o vídeo)

Os diversos grupos que vivem afrontando os valores tradicionais de nossa sociedade perderam a noção do perigo: estão desrespeitando o que existe de mais precioso em nossa comunidade, as nossas crianças.

Já aguentamos demais: professoras nojentas defecando em público em cima de um pedaço de jornal, mulheres horrorosas mostrando suas tetas caídas, reivindicando sabe-se lá o quê, membros do grupo LGBT se masturbando com o maior símbolo da igreja católica, o nosso crucifixo sagrado... CHEGA, ISSO PRECISA ACABAR.

Talvez a passividade de nossa sociedade, escrava do "politicamente correto", tenha passado, a esses seres desadaptados, a errônea e equívoca mensagem, que tudo será permitido e tolerado.

DEIXEM AS NOSSAS CRIANÇAS EM PAZ, é um clamor generalizado de nossa sociedade.

O objetivo dessa política é muito mais profundo e macabro do que se pode imaginar, denuncia o Procurador Geral da República, Guilherme Schele: desestruturar a família e interferir no desenvolvimento cognitivo dos futuros cidadãos, o que facilitaria a implantação de uma agenda socialista marxista. (Veja o vídeo).

Em seu artigo, Breve História do Ativismo Pedófilo, Cristian Derosa, mostra que existe um movimento mundial à favor da erotização precoce de crianças: "O ILGA é um dos principais promotores da Ideologia de Gênero na ONU por meio da UNESCO, embora haja hoje centenas de outros movimentos e ONGs feministas empenhadas na causa da educação sexual para idades cada vez menores." (link do  artigo ).

As autoridades responsáveis pelo cumprimento da lei e a manutenção da ordem, não podem se omitir frente a esse grave desrespeito às leis brasileiras, sob pena, da sociedade revoltada, tomar para si, a execução da justiça por suas próprias mãos.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas