Novo escritório jurídico reúne ex-ministro da Justiça de Dilma e advogado preso no caso JBS

Intrigante a formação da nova dupla jurídica que irá atuar em Brasília. Aliás, suspeita.

Eugênio Aragão, aquele procurador da República petista, que exerceu, em absoluto confronto com o texto constitucional, o cargo de ministro da Justiça de Dilma Rousseff é o primeiro elemento da banca.

Willer Tomaz, o advogado preso no escândalo da JBS, sob acusação de pagar propina ao procurador Ângelo Goulart para vazar investigações do MPF para a JBS, é o elemento numero dois.

Que laços unem esses dois elementos?

Aragão é contumaz detrator da Lava Jato. Em sua mais recente declaração ele se refere à operação como ‘obra de menininhos com carro importado na garagem’.

Willer é acusado de atuar sorrateiramente defendendo interesses espúrios da JBS.

É sem dúvida um escritório jurídico da pesada.



da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça

loading...