Jair Bolsonaro sob o fogo cerrado dos inimigos políticos e da imprensa (veja o vídeo)

Chega a ser cômica a atitude dos adversários de Bolsonaro à Presidência da República.

A Globo (e FHC) tenta (m) emplacar o playboy atirado a bom samaritano Luciano Huck. Sua vaidade o queimou na linha de largada, basta vermos as fotos tiradas ao lado de famosos socialites que hoje frequentam as páginas policiais do noticiário nacional.

Marina Silva, também assusta com seu discurso ecochato e seu bonezinho do MST, mais parecendo uma versão melhorada da ex-presidente Dilma Rousseff, já não engana mais ninguém.

Agora, engraçado mesmo foi o Coronel nordestino, Ciro Gomes, dizer que o eleitorado de Bolsonaro poderia migrar para a sua candidatura. Logo a dele, que defendia Lula com unhas e dentes, propondo inclusive um sequestro, do referido ex-presidente, como forma de retirá-lo das garras da justiça brasileira para exilá-lo em alguma republiqueta comunista bolivariana da América Latina.

Não é piada, é sério. Vejam o que foi publicado na Veja online, dia 23, sob o título " O eleitor de Bolsonaro é meu, diz Ciro Gomes":

"O Ex-governador acredita representar anseios dos simpatizantes do deputado por 'seriedade' e 'autoridade' e diz considerá-lo 'mais honesto’ que tucanos."

Para o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT), os “bolsominions”, simpatizantes do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), podem migrar para a sua pré-candidatura à Presidência da República. “O eleitor do Bolsonaro é meu. Eles não perceberam, mas eles estão procurando seriedade, autoridade. Eu sou isso, de verdade”. A fala de Ciro ocorreu durante uma entrevista para o programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, na noite deste domingo." 

Esse povo não tem senso do ridículo. Enquanto esses protótipos de presidentes estiverem ligados à elementos que depauperaram o erário da nação, não terão a mínima chance como alternativas viáveis e decentes à presidência da República.

Os verdadeiros eleitores de Bolsonaro só aceitariam, como opção à sua candidatura, talvez, uma Intervenção Militar Constitucional. O resto "é conversa para boi dormir".

O que se quer na realidade é passar o Brasil à limpo e não acabar de "limpar" o que sobrou nos cofres públicos. Se é que sobrou alguma coisa.

Abaixo, entrevista de Bolsonaro nesta segunda-feira (23), no programa Super Pop de Luciana Gimenez, onde esclarece inúmeras questões relativas ao seu mandato, atuação política e pré-candidatura à presidência .

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários