Barroso dá nova traulitada em Gilmar e assume condição de principal algoz do “ser supremo”

É o embate do bem contra o mal no Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro Gilmar Mendes certamente não contava com esta. 

Finalmente ganhou um adversário de peso e em iguais condições para enfrentá-lo.

O ministro Luís Roberto Barroso, que já havia trucidado Gilmar no plenário do STF na semana passada, retomou a carga nesta quarta-feira (1º), durante o 34º Encontro Nacional dos Procuradores da República, em Porto de Galinhas (PE).

Fazendo alusão explicita a Gilmar, Barroso disse que a leniência com os crimes de colarinho branco ‘tem representantes em toda a parte”, o que culmina com ‘o direito penal seletivo’ que ‘criou um país de ricos delinquentes’. ‘O país da fraude em licitações, da corrupção ativa, da corrupção passiva, do peculato, da lavagem de dinheiro sujo’.

“O mal é persistente e a desonestidade se dissimula em muitas roupagens. Quem quer que olhe em volta pode constatar que a ‘Operação Abafa’ (contra o combate à corrupção) é visível, ostensiva e indecente”, complementou o ministro.

“A lógica de um juiz não pode ser a do amigo/inimigo, mas sim a do correto, justo e legítimo. O poder, inclusive o de juízes e tribunais, não existe para proteger amigos e perseguir inimigos, mas para servir ao bem e à justiça. Juiz que faz favores transaciona com o que não lhe pertence”.

Fantástico.

Os bons estão ganhando coragem.

Parabéns ministro Barroso!

Fonte: Veja

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça