A enorme distância que separa um garoto rico de um garoto pobre

Passei o feriado com uma turma de queridíssimos amigos. Um dos casais levou o filho e o melhor amigo do filho, ambos de sete anos de idade. Esse amigo se chama Rodrigo e é de uma família com um alto padrão econômico, mas alto mesmo, com mansão na praia, barco, apartamento no exterior, etc., etc., etc.

Rodrigo é um garoto bonzinho e risonho, do cabelo liso e bem preto, da pele morena. Também é bem gordinho, daqueles que balançam a barriga toda quando gargalham. Rodrigo não ri e nem brinca como um garoto rico. Ele corre, pula e gargalha como um garoto de 7 anos qualquer.

Ponto, parágrafo.

Acabo de voltar da farmácia. Assim que estacionei o carro, fui abordado por um garoto de rua me pedindo “uma ajuda para a sua família”. Tomei um susto e não foi pela abordagem, com a qual já estou anestesiadamente acostumado. O susto foi por conta da enorme semelhança física do garoto com o Rodrigo.

Perguntei seu nome: Ângelo, ele me disse, sorrindo. Vocês não têm ideia do quanto até no sorriso e no jeito de correr atrás de um outro garoto que estava com ele, o Ângelo me lembrou o Rodrigo,
___________


___________
Ângelo é um garoto bonzinho e risonho, do cabelo liso e bem preto, da pele morena. Também é bem gordinho, daqueles que balançam a barriga toda quando gargalham. Ângelo não ri e nem brinca como um garoto de rua. Ele corre, pula e gargalha como um garoto de 7 anos qualquer.

Rodrigo e Ângelo passariam tranquilamente por irmãos gêmeos, de tão iguais que são.

Mas quis o destino que suas vidas fossem absolutamente opostas. Um tem quase tudo o que é possível se ter. O outro tem quase nada.

Enquanto Rodrigo nasceu e cresce num mundo onde o céu é o limite para o atendimento de seus desejos materiais, Ângelo nasceu e cresce ao Deus dará, num mundo em que o atendimento de seus desejos não encontra céu, só limites.

Eu ainda morro, mas não me acostumo com a ideia de vivermos em uma sociedade que admite tamanha distância entre Ângelos e Rodrigos.

(Texto de Fernando Augusto Martins Canhadas)

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Sociedade