Já calejada, defesa de Lula sofre nova derrota, um golpe certeiro no próprio advogado

A defesa de Lula perdeu mais uma no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que é justamente o órgão que vai julgar o recurso contra a sentença do juiz Sérgio Moro que condenou o ex-presidente a nove anos e meio de prisão.

Desta feita a derrota tem uma dor pessoal. Atinge um dos advogados, o compadre de Lula, Roberto Teixeira.

A pretensão do recurso era obter ordem para que fossem destruídas todas as conversas por meio de grampos obtidas no telefone do escritório de Teixeira.

A alegação era de quebra de sigilo profissional.

O desembargador João Pedro Gebran Neto nem sequer analisou o pedido.

Apenas negou alegando falta de fundamento para a urgência.

Aliás, a pressa demonstrada na destruição é intrigante.

Afinal, o próprio Teixeira é também réu e suposto laranja de Lula em inúmeras operações.

Essa prova não pode ser destruída, pois com certeza é relevante e obtida licitamente.

Advogado que se envolve na trajetória criminosa do cliente não pode ser favorecido por sigilo profissional.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça