Zé Dirceu mantinha esquema de propina até em Portugal

O ex-ministro José Dirceu foi verdadeiramente insaciável enquanto esteve no poder.

Qualquer possibilidade de amealhar propina, lá estava Dirceu, sempre sedento.

Com a decretação da falência do Banco Espírito Santo (BES) de Portugal, o banqueiro Ricardo Salgado, que durante 20 anos presidiu a instituição bancária, revelou que pagava propina mensal ao brasileiro. 

Mensalmente R$ 100 mil eram depositados na conta do Zé.

O objetivo da propina era obter do então ministro brasileiro toda a ajuda necessária, lícita ou ilícita, para que a Portugal Telecom comprasse a ‘OI’.

A propósito, na quebra do BES, foram ‘esquecidos’ R$ 153 milhões em depósitos no banco.

Autoridades portuguesas, seguindo o caminho do dinheiro, estão na iminência de confirmar que a grana pertencia a políticos brasileiros.

O BES, como se sabe e como se vê, era muito próximo e tinha negócios com o PT.

 

Fonte: Diário do Poder

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça