Destruição de fazenda na Bahia teve efetivamente o apoio do MST (veja o vídeo)

As lideranças do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) nunca estiveram preocupadas com a distribuição de terras para seus integrantes.

A preocupação do MST é tão somente fazer política como linha auxiliar do Partido dos Trabalhadores. Mais nada.

Nesse sentido, a troco de pão com mortadela e um barraco num acampamento qualquer, o MST instrumentaliza os seus milhares de seguidores, uma grande maioria sem qualquer vocação para a lida na terra, sem qualquer disposição para o trabalho duro, mas que se sujeita a participar das algazarras e politicagens criminosas entabuladas pelo movimento.

Os arruaceiros que destruíram a fazenda da família Igarashi em Correntina (BA) chegaram ao local em 10 ônibus e inúmeros caminhões, devidamente orientados sobre exatamente o que deveriam fazer. A ordem era destruir.

Só um grupo organizado e com fartos recursos poderia financiar esta estrutura.

___________

___________

Todo mundo sabe que o MST foi aquinhoado com verbas astronômicas durante as gestões do PT. É hoje realmente um exército com o cofre abastecido, os comandantes abastados e os militantes ensandecidos e obedientes.

Não há dúvida que o MST financiou o vandalismo em Correntina.

De qualquer forma, para não deixar dúvidas, o discurso do deputado Valmir Assunção (PT-BA) na Câmara Federal é elucidativo.

Assunção é um dos líderes do MST e membro da direção nacional há quase 30 anos.

É uma voz que fala em nome do MST.

Abaixo veja o trecho do seu discurso que representa a posição e o apoio do MST aos vândalos de Correntina.

Veja o vídeo:

da Redação

Comentários