Emicida esnoba medalhista olímpico por não seguir agenda vitimista e é calado por fã

O dia da Consciência Negra de 2017 pode ficar marcado na história como o dia em que o maior número de pessoas revoltou-se contra as narrativas vitimistas de esquerda. A data gerou polêmica em cima de polêmica e muito barulho nas redes sociais. Entre defensores e opositores, famosos e anônimos, parece que nunca antes houve tanta divergência quanto ao tema.

Além das polêmicas envolvendo Taís Araújo, Glória Maria e outros Globais, houve ainda discussões entre músicos, atletas, cineastas e toda a sorte de gente. No Twitter, o rapper, Emicida, resolveu dar uma bronca no pugilista olímpico Esquiva Falcão, o primeiro boxeador brasileiro a conquistar uma medalha de prata em olimpíadas, em Londres, em 2012.

Falcão compartilhou no Twitter a mesma frase de Morgan Freeman que Glória Maria havia referido na sua página no Facebook. Emicida, então, afirmou que o atleta estava compartilhando “uma pá de bosta” e que acreditava que o atleta podia “ser mais inteligente que isso”.

Foi aí que um fã resolveu intervir. Afirmando que Emicida “beija a mão de todo o establishment branco da mídia, dos Caetanos e dos Chicos” e que, se não fosse por isso, voltaria a cantar “nas festinhas do Cardoso”, o usuário Paulo Cruz deixou o cantor sem palavras.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Sociedade