Alertado por Aécio sobre vida pregressa de Marun, Temer recua e não o nomeia ministro

O deputado federal Carlos Marun seria empossado nesta quarta-feira (22) ministro da Secretaria de Governo, com o status de principal articulador político de Michel Temer.

O parlamentar de Mato Grosso do Sul, já pronto para a posse, foi avisado de que deveria aguardar.

Um telefonema de Aécio Neves foi crucial para a reviravolta. O senador alertou o presidente sobre o risco da nomeação de uma pessoa envolvida em casos gravíssimos de corrupção.

Marun é protagonista de um escândalo sem precedentes na Agência de Habitação Popular de Mato Grosso do Sul (Agehab).

O deputado é acusado de um desvio milionário. O caso já era conhecido, entretanto a argumentação de Aécio foi no sentido de que com a recente prisão do ex-governador André Puccinelli, de quem Marun é afilhado político e fiel seguidor e com o aprofundamento das investigações, a situação de Marun em pouco tempo poderá ficar insustentável, pois é bem provável que o nome dele apareça envolvido em outras falcatruas.

Inclusive, a vida tortuosa de Marun foi objeto de matéria do Jornal da Cidade Online, nesta quarta-feira (22). 

Temer, temeroso e já escaldado, resolveu, pelo menos por enquanto, cancelar a posse de seu mais novo fiel ‘bate-pau’.

Lívia Martins

Articulista e repórter
livia@jornaldacidadeonline.com.br

Mais de Lívia Martins

Comentários