Rosário vai ao ataque e requer ao STF para ser assistente de acusação contra Bolsonaro

A deputada Maria do Rosário vai intensificar o confronto com o deputado Jair Bolsonaro e fatalmente obter projeção com a iniciativa.

Presentemente, atuar como assistente de acusação na ação por incitação à prática do crime de estupro contra o pré-candidato a presidente, é tudo o que a petista quer no sentido de alavancar sua campanha rumo à reeleição.

O pedido nesse sentido está aguardando decisão do ministro do STF Luiz Fux, o relator do caso.

Em 2013, Maria do Rosário havia chamado Bolsonaro de estuprador, acusando o deputado de incentivar a prática, mesmo “sem ter consciência disso”. Ele a empurrou e disse que ela era uma “vagabunda”.

Em 2014, Bolsonaro afirmou, na Câmara e em entrevista a jornal, que a deputada Maria do Rosário (PT-RS) não merecia ser estuprada porque ele a considera "muito feia" e porque ela "não faz" seu "tipo".

O pleito de Maria do Rosário junto ao STF é a evidência de que novos embates devem acontecer entre os dois.

Provocar discussão com Bolsonaro é tudo o que a petista quer agora e poderá ser fundamental para uma eventual reeleição, pois irá agradar e colocá-la em evidência junto a seu eleitorado.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça