Globo, irresponsável, volta a atacar a PM e recebe resposta arrasadora (veja o vídeo)

Uma reportagem veiculada este final de semana pela Rede Globo, mais uma vez toma partido da bandidagem em detrimento da polícia militar.

É certo, sem dúvida, que eventuais condutas de maus policiais devem ser punidas, mas a matéria da Globo, lamentavelmente tem o condão de tão somente jogar a opinião pública contra a PM, o que é um absurdo.

A emissora divulga dados aleatórios, parciais e descontextualizados da realidade.

Apenas para exemplificar, a matéria afirma que “as mortes provocadas por policiais voltaram a crescer de forma espantosa no Rio de Janeiro”. Diz que um grupo de 20 PMs esteve envolvido ao longo dos últimos anos na morte de 356 pessoas ‘durante confrontos armados’.

Ora, se a própria reportagem admite que houve ‘confronto armado’, não há mais o que se discutir. Confronto é confronto. Que absurdo!

Na sequência, uma série de suposições é disparada, com um objetivo bem claro, generalizar a atuação policial e jogar a população contra a PM. Isso parece óbvio.

Veja aqui a reportagem da Globo:

 
A resposta da Polícia Militar foi fulminante, demonstrando que a intenção da Rede Globo foi vender uma ideia deturpada dos fatos para a sociedade, omitindo dados relevantes e importantíssimos.

Somente em 2017 foram mais de 4.400 confrontos entre PM e criminosos armados. Uma média absurda de 14 confrontos por dia.

Mais de 31 mil pessoas foram conduzidas intactas pela PM, desses 6 mil eram menores apreendidos em atos violentos.

Mais de 6 mil armas que estavam na posse de criminosos, foram retiradas das ruas, inclusive armas utilizadas em guerra e por grupos de terroristas internacionais.

Além disso, 123 policiais foram assassinados pelos criminosos, somente em 2017. Fato que por sinal daria um excelente matéria para a Rede Globo e que estranhamente foi ignorado.

Veja abaixo o pronunciamento oficial da PM, através de seu porta voz, o major Ivan Blaz:

 
Fica difícil compreender o que quer a Rede Globo, quais são os seus reais objetivos e o que ganha atacando a polícia e omitindo dados relevantes.

A atuação de maus policiais são casos que devem ser tratados com rigor, mas de maneira individualizada, sem manchar a imagem de toda uma corporação.

Nesse sentido, vale lembrar a participação desse mesmo major Ivan Blaz no programa ‘Encontro’.

Veja abaixo a lição fantástica que ele aplicou na jornalista Fátima Bernardes e na Rede Globo:


da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Tema Livre