Professor da USP, contumaz agressor de Moro, processa Janaína Paschoal (veja o vídeo)

Recentemente a advogada Janaína Paschoal foi reprovada em processo seletivo para professora titular da USP.

Janaína jamais venceria aquela disputa.

O presidente da banca avaliadora do concurso é um professor com vínculo estreito com o PT, defensor de Lula, e teve a ousadia de em evento público na USP pedir a prisão do juiz Sérgio Moro, em nome de uma suposta ‘legalidade’ (veja no vídeo no final da matéria, no minuto 15:20).

Sérgio Salomão Shecaira é o chefe do Departamento de Direito Penal, Medicina Forense e Criminologia da USP e presidiu a banca avaliadora que barrou Janaína.

A professora o denunciou divulgando uma série de mensagens no twitter questionando a escolha da banca.

Acusou Shecaira de ter favorecido Alamiro Velludo, candidato melhor avaliado, insinuando que Velludo e o docente teriam uma ‘relação estreita’. Ela também afirmou que Velludo teria plagiado a tese de doutorado de outro colega, Leandro Sarcedo, e chegou a entrar com um recurso contra o resultado do concurso.

"Seria impossível não notar a identidade entre as duas teses. Friso, os textos não são idênticos, mas as ideias são. Das duas, uma: Ou Shecaira aprovou duas teses sem ler. Ou Shecaira foi conivente com o fato de o vencedor apresentar ideias de outrem", escreveu Janaína no Twitter.
Shecaira, sentindo-se ofendido e difamado, porque teria tido sua 'honra profissional' colocada em ‘cheque’, está processando Janaína Paschoal.

Na semana passada, Shecaira apresentou uma queixa-crime por difamação contra a advogada que entrou com a ação que originou o processo de impeachment de Dilma Rousseff, da qual o demandante era intransigente defensor.

Vê-se que fala em ‘honra profissional’, quem publicamente pediu, pasmem, a prisão do homem que comanda a maior operação contra a corrupção da história.

Abaixo, veja o vídeo:

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça