José Tolentino

Jornalista. Editor do Jornal da Cidade Online.

André, uma espécie que deve ser expurgada (veja o vídeo)

O pobre Mato Grosso do Sul viveu durante 16 anos dominado por uma requintada organização criminosa, que sangrou o que foi possível dos cofres públicos e comprometeu totalmente o desenvolvimento do estado.

Um esquema extremamente bem montado, que tinha um claro objetivo: ganhar muito dinheiro, enriquecer os membros da quadrilha e vencer eleições.

E foi a isso que se dedicou André Puccinelli durante os seus 8 anos de gestão como prefeito de Campo Grande e mais oito anos como governador do estado.

Eleito governador, André além de ter à sua disposição os cofres públicos do estado, manteve o absoluto controle do abastado cofre da prefeitura de Campo Grande.

Homem frio, amoral e sem escrúpulo, André não mede esforços para ‘atropelar’ os seus adversários e fazer prevalecer a sua força.

Assim, a inesperada derrota na eleição municipal da capital em 2012, quando Alcides Bernal venceu o pleito, foi um baque sem precedentes nos ‘negócios’ e ‘negociatas’ de Puccinelli e seus asseclas.

Não demorou muito para que a organização criminosa começasse a articular a cassação do prefeito eleito.

No terceiro mês do mandato de Alcides Bernal, na Câmara, os vereadores só falavam em cassação. Nenhum deles suportava a ideia de não receber mais os tais ‘mensalinhos’, coisa institucionalizada nos últimos 16 anos de administração, quando comandaram o executivo de Campo Grande, André Puccinelli e Nelsinho Trad.

Enfim, um vídeo do deputado federal Dagoberto Nogueira, outrora aliado de André, define bem o perfil do capo. Veja abaixo:



De todo modo, não obstante André Puccinelli ser esta figura execrável, um reduzido grupo ainda sonha com a volta dele ao poder e com o consequente retorno das benesses por ele proporcionadas.

André nunca mais voltará ao poder. Não tem mais moral, nem voto. Todavia, se por acaso conseguir escapar das garras da Justiça, não tem mais cacife para vencer uma eleição majoritária. Também não tem mais coragem.

Caso o ex-governador, que agora também ostenta o título de ex-presidiário, conseguir chegar solto até o pleito de 2018, será candidato a deputado federal.

Tudo o que ele quer agora é garantir o ‘foro privilegiado’ e escapar de novas e merecidas humilhações.

O todo poderoso teve que engolir todas as blasfêmias lançadas, notadamente com relação ao ex-prefeito Alcides Bernal, que certa vez, após golpeá-lo covardemente, afastando-o por um ano e meio do mandato legitimamente conferido pelo povo, chamou de ‘ladrão’.

Hoje, após todas as revelações, fica a nossa pergunta: André, quem é o ladrão? Quem usou tornozeleira? Quem conheceu de perto as agruras do xilindró, ao lado do filho?

A sociedade sabe a resposta.

Abaixo o vídeo em que ele tripudia sobre o ex-prefeito, atitude pela qual responde a um processo, entre tantos outros que agonizam a sua vida atual.

 

José Tolentino

Jornalista. Editor do Jornal da Cidade Online.

Mais de José Tolentino

Comentários

Notícias relacionadas

loading...