O caso do agricultor morto a pauladas após depor contra deputada Erika Kokay (veja o vídeo)

As investigações até o momento não avançaram

Uma semana depois que o agricultor Gilmar Borges depôs na CPI do Incra-Funai e denunciou nominalmente a deputada Erika Kokay de tê-lo pressionado para que deixasse a propriedade rural da qual era arrendatário há mais de 20 anos, ele foi brutalmente assassinado.

Dentro do imóvel, o produtor rural foi surpreendido por golpes de pauladas que o levaram a morte.

Em seu depoimento prestado na CPI, Gilmar afirmou categoricamente que a deputada dirigia-se aos órgãos e utilizava o tráfico de influência no sentido de pressioná-lo para que cedesse parte da propriedade para o MST.

Erika Kokay nega que tenha feito qualquer tipo de pressão.

Gilmar era arrendatário de 247 hectares no Gama (DF) e,  após a terra ser invadida sua vida virou um verdadeiro inferno, até ser executado aos 78 anos. 

O crime aconteceu em agosto e até hoje a polícia não conseguiu chegar aos criminosos, entretanto parece óbvio o envolvimento de elementos ligados aos MST.

Abaixo, veja vídeo com reportagem completa sobre o assunto.

da Redação

Comentários

Mais em Política