Caso Marun vire ministro, prisão é certa

O chefe ‘número 1’ do deputado Carlos Marun, aquele que lhe deu o primeiro cargo público e o fez vereador, deputado estadual e deputado federal, o ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli, está envolto numa complicada situação com a Polícia Federal e o Ministério Público.

Já foi conduzido coercitivamente, já experimentou a tal da tornozeleira eletrônica e recentemente foi preso.

Atualmente está solto, mas a qualquer momento pode ser novamente reconduzido ao xilindró.

É certo que Marun está envolvido até o pescoço nas peripécias de Puccinelli, encontrando-se a salvo graças ao ‘foro privilegiado’ que lhe confere o mandato de deputado federal.

Ocorre que o presidente Michel Temer impôs como condição para Marun assumir o ministério da Secretaria de Governo, sua permanência até o fim de seu mandato, o que lhe impediria de disputar a reeleição.

Quem conhece a situação de Marun, garante que sem foro especial, ele não escapa da PF e da ‘cana’.

Como o deputado é metido a ‘topetudo’, é capaz que ele pague pra ver, exatamente como fez Puccinelli em 2014, que agora cotidianamente é vitima de constantes humilhações e constrangimentos.

O ex-governador preferiu concluir o seu mandato e não se candidatar a nada.

Deu no que deu...

Lívia Martins

Articulista e repórter
livia@jornaldacidadeonline.com.br

Siga-nos no Twitter!

Mais de Lívia Martins

Comentários

Notícias relacionadas