É hora da magistratura defenestrar de vez o ministro Gilmar Mendes

No país da impunidade é assim: o bizarro e o deplorável nunca param de virar notícia.

Infelizmente, lógico.

Vejam esta última: Temer nomeia ex-mulher do "mini"stro Gilmar Mendes, para o Conselho de Itaipu.

Caridade?

Filantropia?

Benevolência?

Que nada.

Um escracho, isso sim.

Agora um detalhe: trata-se de um dos cargos públicos de maior remuneração no Brasil.

Está comprovado, em plena luz do dia, que Temer acabou de pagar, através do fisiologismo, pelo voto de absolvição da chapa-suja PT-PMDB que foi proferido pelo "mini"stro Gilmar Mendes, quando era Presidente do TSE.

É hora dos Juízes de Direito aprovados em concurso público de provas e títulos e que são vocacionados para o bem julgar e para a prestação jurisdicional, defenestrar, de vez, pelas vias legais, o "mini"stro Gilmar Mendes.

Se não o fizerem, lamento dizer, serão confundidos com Gilmar Mendes, quer por apatia, quer por omissão, seja por submissão, seja por covardia.

Pedro Lagomarcino

Advogado em Porto Alegre (RS)

Siga-nos no Twitter!

Mais de Pedro Lagomarcino

Comentários

Notícias relacionadas