Valdivino Sousa

Prof. Ms Valdivno Sousa é Contador, Matemático, Pedagogo, Psicanalista, Bacharel em Direito, Escritor e Mestrado em Ciências da Educação Matemática.

Como fazer cálculo mental de forma prática sem errar

Dicas de como fazer cálculo mental sem errar, pois é você sabia que quando fazemos contas de cabeça estamos usando o sistema de numeração e as propriedades das operações?. Quando vamos a um comércio, ou numa feira, observamos a pessoa recebendo o valor e devolvendo o troco de forma rápida, Existem três maneiras de resolver as contas que diariamente aparecem na nossa frente: a) usando a calculadora; b) estimando o resultado com base em referências e em experiências anteriores; c) fazendo a conta ou usando o cálculo mental. Em atividades profissionais, geralmente os adultos usam a calculadora ou outras máquinas afins.

 No dia a dia, porém, o mais comum é as pessoas chegarem mentalmente ao resultado ou estimar um valor aproximado. Mas na escola essas estratégias não são valorizadas e a atenção ainda está no ensino da conta armada.

  Dicas para fazer cálculo mental sem errar

Muitas pessoas não sente segurança em fazer contas de cabeça, elas usam sempre a calculadora, mas em algum momento precisamos fazer um cálculo de cabeça. Desde os primeiros anos de ensino de matemática, existe um exercício em particular que exige mais concentração, dedicação e investimento intelectual do que muitos outros: ele é o cálculo mental.

Imagine então no Ensino Médio, na preparação para o vestibular, ou então durante seu curso universitário? É uma técnica muito útil e que pode aprimorar o desempenho e rendimento dos estudantes de uma maneira bem eficaz.

Mas é preciso dominar técnicas específicas para utilizar o cálculo mental com rapidez e eficácia na nossa vida cotidiana, seja na hora de fazer compras, arrumar a casa ou cozinhar, entre outros.

Mesmo se a grande maioria das pessoas hoje possui um smartphone, às vezes não temos o celular por perto ou então, quando temos, até procurar o aparelho na bolsa, digitar a senha, achar o aplicativo calculadora… A conta já era!

Retomar as noções de base do cálculo mental pode ajudar você a sair do sufoco na hora de uma prova, no dia do vestibular, por exemplo, mas também a economizar tempo e treinar sua mente em situações do cotidiano.

Mas como fazer? Existe uma técnica específica? Existem exercícios, aqui vai algumas dicas: O passo é usar o  sistema de numeração que normalmente utilizamos é o sistema de numeração decimal, Unidades, Dezenas e Centenas.
Os símbolos matemáticos utilizados para representar um número no sistema decimal são chamados de algarismos: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, que são utilizados para contar unidades, dezenas e centenas. Esses algarismos são chamados de indo-arábico porque tiveram origem nos trabalhos iniciados pelos hindus e pelos árabes. Com os algarismos formamos numerais (Numeral é o nome dado a qualquer representação de um número).

 
Você já deve ter visto alguém fazer contas de cabeça com rapidez ao saber a data de nascimento de uma pessoa. Vamos a uma técnica a pessoa nasceu em 1960 e estamos em 2017. Neste caso trabalhamos mentalmente com numeração decimal ou conhecido valore redondo, 1960 para 2000 temos 40 basta somar com o ano atual 17, ou seja, 40+10+7 = 57  então a pessoa tem 57 anos.  Mas e se a pessoa nasceu em 1954? Usamos a mesma técnica arredondamos para 1950 que para cegar em 2000 dar 50 +10 +7- 4  logo a pessoa tem 63 anos. Vamos mais a um exemplo a pessoa nasceu em 1941 arredondado para 1940 que para 2000 dar 60 e somo com o ano que 17 que fica: 60+10+7 – 1 logo a pessoa tem 76 anos. Observe que trabalhamos com o sistema de numeração decimal, o valor que passar eu faço a subtração.

 Porcentagem:  5% por centro de 150,00  eu mentalmente multiplico 5x15 = 75 e descubro que é 7,50  ah, mas não decorei a tabuada do 15, não há problema usa o método decimal.  5% de 100 = 5  depois faz os 50,00   que fica 5 x5 =25 ai você soma 5,00 +2,50 = 7,50

Passando o troco correto: Nessa transação utilizamos a soma e subtração ao mesmo tempo, veja uma compra de 75,00 reais, dei para cobrar uma nota de 100,00 ao invés de eu subtrair posso somar, invertendo tenho 75,00 quando falta para chegar o valor de 100,00, observe que mentalmente vou imaginar que tenho em mãos 75,00 e quero chegar a 100,00 vou pegar um valor que soma o valor de 100 ok. Que é 25,00, ou seja, o troco que eu tenho a que devolver para a pessoa.

As vantagens do cálculo mental

O cálculo mental traz muitos benefícios e vantagens incontestáveis para a nossa vida cotidiana, seja você um estudante ou um profissional.

Ele contribui para que você obtenha resultados rápidos e precisos em qualquer situação; o melhor de tudo isso é que você não vai precisar nem de uma calculadora!

Você simplesmente vai aprender a contar de cabeça, bem depressa! Só isso!

Para aqueles que desejam reforçar seus estudos em matemática, o cálculo mental permite a consolidação dos conhecimentos dos números, a familiarização com as operações, a descoberta de certas propriedades, e muito mais.

Que tal calcular o valor da sua conta de supermercado de cabeça?

O cálculo mental pode ser usado em diversas ocasiões: ele treina as noções de grandeza das operações, o que é muito importante quando estudamos os números decimais ou as proporções, por exemplo.

Enfim, o cálculo mental contribui para que você estruture sua mente, de maneira a começar a pensar, refletir, estimulando sua memória, sua habilidade analítica e de síntese.

Em um primeiro momento, apesar de não parecer, ele compreende também um forte aspecto lúdico: excelente oportunidade para aqueles que gostam de desafios matemáticos seja em jogos de lógica, com quebra-cabeças, brincando de lego ou de cubo mágico… com o cálculo mental, você faz seus neurônios funcionarem e se diverte ao mesmo tempo! Na verdade, você pratica a matemática e nem se dá conta disso.

Por que estudar o cálculo mental?

Existem muitas razões para começar a fazer contas de cabeça e sobretudo a desenvolver suas habilidades de memorização matemática. Veja algumas delas:

  • Você estimula sua mente a progredir nos cálculos, uma vez que já terá alguns resultados prontos por reflexo; assim, consegue focar em problemas mais complexos;
  • Você ganha tempo e em alguns casos até dinheiro (vá perguntar a opinião dos jogadores de poker ou dos banqueiros!)
  • Você viaja com menos bagagem: pode deixar em casa aquela calculadora enorme que ocupa espaço na mala. Ok, você vai ter o seu celular, mas desnecessário usá-lo para calcular quanto é 8 x 7, certo?
  • Você vai se dar bem em diversas situações do dia a dia: a tabuada do 11 e do 12 não será mais nenhum mistério…
  • Ninguém mais vai conseguir te enganar na hora de dar o troco!
  • Você vai economizar nas aulas de matematica
Como treinar sua mente a calcular

Em todos os casos, a prática diária e constante do cálculo mental, por cerca de dez minutos por dia, já é suficiente. Não adianta ficar horas a fio decorando fórmulas e contas; seu cérebro precisa apenas de uma prática constante e regular para que os cálculos se tornem algo bem natural, assim como andar de bicicleta ou até mesmo respirar.

O cálculo mental pode ser praticado tanto oralmente quanto por escrito, e você pode recorrer a suportes e recursos como um caderno, uma pasta de anotações, cartas, fichas, dados, um programa de computador.

É importante ter em mente todos os mecanismos e técnicas que você utilizou para chegar a determinados resultados: isso vai ser útil por toda a sua vida. Vai inclusive fazer de você um bom aluno de matemática e, quem sabe, um especialista?

Veja alguns recursos básicos para ajudar nessa empreitada:

  • As tabuadas de adição e de multiplicação;
  • Conhecimento dos números quadrados até 15² (=225), bem como as potências;
  • A técnica de multiplicação por potências de 10 com expoentes negativos (é preciso andar a vírgula para a esquerda) e de expoentes positivos (deslocar a vírgula para a direita);
  • Usar a propriedade “dividir por um número = multiplicar pelo número inverso” (por exemplo, dividir por 0,25 é multiplicar por 4)
  • Aprender os produtos notáveis: (a+b) ² = a² + 2ab + b², (a – b) ² = a² – 2ab + b², (a+b) (a – b) = a² – b².
  • Aprender as regras de fatoração;
  • Conhecer as ordens de grandeza.
 
Recursos online que ajudam no cálculo mental

Para evoluir em matemática com o cálculo mental, a Internet é também um recurso precioso e complementa perfeitamente suas aulas.

Existem muitos sites especializados que propõem videoaulas, explicações, quiz, textos complementares, exercícios, jogos e muito mais. Selecionamos alguns para você:

Khan Academy: ONG educacional criada e sustentada por Salman Khan. Com a missão de “fornecer educação de alta qualidade para qualquer um, em qualquer lugar”, oferece uma coleção grátis de vídeos de matemática entre outras matérias.

Olimpíada Brasileira de Matemática: com 30 anos de tradição, a OBM disponibiliza, em seu site, download de provas e gabaritos anteriores.

Calcule Mais: Videoaula de matemática e exercícios de matemática desde o ensino fundamental até o ensino superior e concursos públicos.

Site Mais: reúne de maneira organizada vários recursos educacionais multimídia disponíveis gratuitamente na internet para uso do professor e do estudante de Matemática.

Só Matemática: são mais de 3.000 páginas de conteúdo, onde você irá aprender Matemática de maneira descontraída, tanto na teoria como na prática.

Matematiquês: questões, provas, curiosidades, resumos e muito mais sobre Matemática!

Portal Matemática: o portal da matemática é um site que visa auxiliar alunos do ensino fundamental e médio, e o seu foco principal é o pré-vestibulando e os interessados que visam ingressar na carreira pública por meio de concursos.

Me Salva: O projeto tem a motivação de ajudar estudantes de todo país na compreensão da temida disciplina de cálculo diferencial e integral.

Kuadro: no kuadro, as pessoas aprendem com vídeos e exercícios, trocam conhecimento, tiram dúvidas… Enfim, um grande grupo de estudos.

br>

Valdivino Sousa

Prof. Ms Valdivno Sousa é Contador, Matemático, Pedagogo, Psicanalista, Bacharel em Direito, Escritor e Mestrado em Ciências da Educação Matemática.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Valdivino Sousa

Comentários

Notícias relacionadas