A expulsão do embaixador brasileiro do ponto de vista de um professor esquerdista

Obviamente, a expulsão do embaixador brasileiro pelo regime de Maduro é uma afronta de uma ditadura a uma democracia.

É fácil imaginar, porém, como um professor brasileiro esquerdista explicaria o caso a seus cativos alunos:

"Vejam, no Brasil houve um golpe, logo não estamos numa democracia. Já a Venezuela é uma experiência de poder popular".
No Brasil, a sensatez do estudante que não acredite em um discurso tão oposto à realidade torna-se subversiva.

Serão os subversivos que estarão na vanguarda do amanhã. Faço votos.

Na medida do possível, ajudo e lanço uma campanha: ajude um estudante subversivo a se tornar ainda mais subversivo, a ponto de desmascarar seu professor amestrado, porta-voz de tiranias e narrativas insensatas.

Aurélio Schommer

Membro do Conselho Curador na Fundação Cultural do Estado da Bahia - Funceb e Membro Titular no Conselho Estadual de Cultura da Bahia.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Aurélio Schommer

Comentários

Notícias relacionadas