Por que o filme "O Jardim das Aflições" gerou tanta polêmica?

Morando em uma cidade do norte do Tocantins, ansiava por assistir esse polêmico documentário que tantos protestos e intolerância gerou, por parte da esquerda, Brasil afora.

Em vão, aguardei uma exibição nas salas de cinema local, procurando outros meios para matar a minha grande curiosidade.

Surpreso, fiquei ao assisti-lo na internet, no primeiro dia do novo ano, e não ter conseguido compreender quais foram os verdadeiros  motivos que levaram a tanta agressividade e intolerância, por parte daqueles que se dizem guardiães e fiéis depositários dos valores da "liberdade de expressão e da tolerância".

Um filme "apolítico", que fala da essência da vida e do entendimento que grandes filósofos e pensadores, clássicos e contemporâneos, possuem sobre o sentido da vida, sob a interpretação  e olhar do grande pensador e filósofo Olavo de Carvalho.

Chega a ser assustador saber que ideias e princípios filosóficos essenciais básicos  possam ser vistos como uma ameaça pelos militantes de esquerda que tentam se apoderar de nossa nação.

Tentar sufocar a verdade, impedindo através da força, que elementos essenciais à compreensão mais profunda da vida, chegue ao conhecimento daqueles que tentam buscar elementos que ajudem a derrubar a cortina e o véu da ignorância, apenas reforça o "benefício" que esses indivíduos obtêm com a ignorância das massas que "tentam" manipular, e o medo que possuem da verdade.

Precisamos livrar o nosso país dessa nuvem tóxica e perversa que paira sobre as nossas mentes, sob pena de nos transformarmos em uma ditadura marxista perversa, onde pensar diferente dos idealizadores do sistema será considerado crime e uma ameaça ao estado totalitário que sonham em implantar.

Espero que as eleições de 2018, apesar de todos os indícios negativos que sobre ela paira, possa abrir uma janela de esperança para aqueles, que como eu, sonham com um país livre e democrático.

Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários

Notícias relacionadas