Ministro que presidirá o TSE a partir de fevereiro opina sobre a elegibilidade de Lula

A confirmação da condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já tem sua consequência praticamente definida no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com relação a questão eleitoral.

O consenso existente, caminha para a absoluta unanimidade, apontando para a inelegibilidade de Lula.

É o que se depreende das declarações sobre o assunto que vem sendo dadas pelos ministros da corte, notadamente o atual presidente, Gilmar Mendes e pelo futuro presidente Luiz Fux, que assume no próximo mês.

Observe-se que o TSE possui tão somente 7 ministros e é notável a liderança que Gilmar e Fux exercem sobre os demais.

Gilmar Mendes declarou recentemente, em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, que em caso de confirmação da sentença do juiz Sérgio Moro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Lula estará inelegível e não conseguirá registrar sua candidatura.

Veja o vídeo:

Fux, por sua vez, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, afirmou taxativamente que ‘não tem muito sentido que um candidato que já tem uma denúncia recebida concorra ao cargo. Ele se elege, assume e depois é afastado?’, disse o ministro.

Muito mais do que uma denúncia, Lula terá uma condenação em 2ª instância.

A rigor, presentemente a discussão caminha para a questão da prisão ou não do petista, pois a questão da elegibilidade parece ser algo já definido.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça