Cresce a revolta popular na Venezuela

As manifestações populares de revolta contra o governo começam a acontecer na Venezuela. O desabastecimento do país tem enfurecido a população.

Nesta quarta-feira (5), dezenas de pessoas invadiram uma prefeitura no extremo oeste do país, saquearam o local e queimaram quadros do presidente Nicolás Maduro e de seu antecessor, Hugo Chávez. A prefeitura foi incendiada e diversos documento foram destruídos. Carros oficiais também foram queimados.

Os incidentes ocorreram em Sinamaica, parte do município de La Guajira, no Estado de Zulia. 

A tensão começou na noite de terça (4), quando moradores saquearam quatro caminhões carregados de arroz, farinha, açúcar e azeite que, aparentemente, se dirigiam à fronteira com a Colômbia.

Moradores se queixam de que grandes quantidades de alimentos são exportadas ou contrabandeadas para o país vizinho enquanto a região vive escassez de alimentos muito pior que em Caracas. Mercados de La Guajira ficam semanas sem ser abastecidos.

O episódio sucede casos semelhantes. O mais grave ocorreu há uma semana, quando centenas de pessoas atacaram mercados de alimentos em San Félix, no sudeste. Um vendedor morreu com tiro no peito.

Segundo autoridades, os episódios são orquestrados pela oposição, que tenta jogar a população contra o governo antes da eleição parlamentar de 6 de dezembro.

Economistas dizem que o desabastecimento é causado pelo controle de preços e de câmbio e pelo colapso de um setor produtivo sob ataque constante do governo.

             https://www.facebook.com/jornaldacidadeonline

Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o site do Jornal da Cidade Online. 

da Redação

Comentários