Novo Fundo Partidário rouba recursos da Saúde e da Educação

Alguém se lembra dos discursos realizados no Senado Federal e na Câmara dos Deputados em outubro de 2017, quando foi aprovada a criação do novo Fundo Partidário com quase R$ 2 bilhões abocanhados dos cofres públicos dos otários nacionais pagadores de impostos?

Sob o comando de Michel Temer e do Palácio do Planalto, os senadores e deputados federais aliados e não-aliados — quase todos encrencados em escândalos de corrupção — garantiram ao Povo Brasileiro que, para formar tal bolada bilionária, não seriam utilizados, principalmente, recursos de Saúde Pública e Educação.

Como sempre, era M-E-N-T-I-R-A!

Na edição do Estadão desta segunda-feira, 08 de janeiro de 2018, matéria assinada pelo jornalista Felipe Frazão apresenta à Nação um levantamento minucioso revelando que, apenas neste ano, o novo Fundo Partidário irá afanar R$ 1,3 bilhão de áreas fundamentais, como Saúde, Educação, Infraestrutura, Agricultura, Segurança Pública e de obras contra a seca.

De acordo com a reportagem, apenas das áreas de Saúde e Educação serão desviados quase R$ 500 milhões para financiar as campanhas políticas dos maiores corruptos da História do Brasil nas Eleições 2018.

Apenas quatro exemplos da excrescente engenharia realizada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal para colocar dinheiro no Fundo Partidário:

1) Foram transferidos R$ 6 milhões do orçamento da Universidade Federal do Acre - UFAC;

2) Meteram a mão em R$ 27 milhões que seriam destinados à conclusão do Hospital Universitário da Universidade Federal do Amapá (Unifap);

3) Retiraram R$ 33 milhões do orçamento da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) que estavam alocados para ampliação do campus em Vitória;

4) Em meio à grave crise de Segurança Pública no Brasil, o novo Fundo Partidário comeu R$ 58 milhões que seriam utilizados para comprar equipamentos e viaturas para a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e para a construção de batalhões e do Instituto Médico-Legal da Polícia Militar do Distrito Federal.

É ou não é uma desgraça?

A quem interessar possa, segue o link para a íntegra da matéria publicada em O Estado de S. Paulo. Recomendo imensamente a leitura e o compartilhamento -> (Veja Aqui)

Segue o enterro... 
___________

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Helder Caldeira

Comentários