Corregedor, que tentou "censurar" procurador da Lava Jato, é oriundo do PT (veja o vídeo)

Está explicada a ‘censura’ recebida pelo procurador Carlos Fernando Santos de Lima.

O censor, procurador Orlando Rochadel Moreira, atual corregedor-nacional do Ministério Público, tem ligações umbilicais com o Partido dos Trabalhadores.

Rochadel foi procurador-geral de Justiça no Sergipe, indicado pelo então governador Marcelo Déda, do PT, já falecido.

O corregedor, na análise de uma representação dos advogados de Lula, como não teve qualquer respaldo jurídico para impor qualquer punição ao procurador da Lava Jato, por opiniões por este exaradas nas redes sociais, mandou arquivar o feito, mas em seu despacho ‘recomendou’ a Carlos Fernando que ‘evitasse’ a menção de pessoas investigadas por ele e outros membros do MPF em publicações nas redes sociais e na esfera privada.

Ora, feito arquivado por imprestável, a ridícula 'recomendação' vale apenas para mera politicagem, como fez o advogado Cristiano Zanin esta semana no Facebook.

Veja abaixo:

 

A conclusão é que o tal petismo é algo que realmente se alastrou por todas as esferas, inclusive no Ministério Público.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça