"Eleição sem Lula é fraude" ou "o que importa é retomar o poder"

Eleição sem Sérgio Cabral também é fraude? Sem Eduardo Cunha? Sem Geddel, Delcídio, Palocci?

Ou será que só Lula expulsa a fraude das eleições?

A Lei da Ficha Limpa vale para os outros: Ele é candidato por direito divino.

A bem da verdade, Lula prescinde das eleições. Ele é O Eleito.

Campanha, urna, voto, apuração, tudo é mera formalidade

Se conseguir burlar a lei, concorrer e vencer, prova-se que a lei é nada diante dEle.

Se conseguir burlar a lei, concorrer e perder, é porque as urnas foram manipuladas, Ele é o campeão moral, e o resultado não será aceito.

Se não conseguir burlar a lei, e ficar de fora da disputa, a eleição terá sido uma fraude.

O voto popular não vale se não for em Lula.

Para defender esta tese, nada de argumentos: basta um slogan, um mantra, um dogma.

E os marqueteiros burilaram esse "Eleição sem Lula é fraude".

Não é tão bom, mas não dava para apenas reciclar o anterior e dizer que eleição com ficha limpa também era golpe.

A vantagem do slogan é que ele se basta.

A tal eleição sem réus condenados em segunda instância é fraude porque sim. É fraude porque o fraudador assim o deseja.

Vai ser triste ver a mesma esquerda que pichou "Abaixo a ditadura", "Diretas já" e "Anistia ampla geral e irrestrita" sujar os muros com essa versão revista e piorada de "Democracia é fraude", "A lei sou eu" e (parafraseando Jarbas Passarinho diante do AI-5) "Às favas todos os escrúpulos de consciência" - o que importa é retomar o poder.

#EleiçãoDeCondenadoÉFoda.

#SóAJustiçaExpulsaAMáFéDasPessoas.

Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Eduardo Affonso

Comentários

Notícias relacionadas