Alegações finais do MPF detonam Lula e Teixeira e demonstram a falsidade dos recibos

Sejamos coerentes, que razão teria Glaucos da CostaMarques para dizer que não recebeu aluguéis de um imóvel de sua propriedade, caso tivesse realmente recebido e o imóvel fosse realmente seu?

Trata-se de uma belíssima cobertura em local privilegiado de São Bernardo do Campo, na Avenida Prestes Maia, vizinha a cobertura do ex-presidente Lula.

Glaucos preferiu um caminho diferente e, em função do alegado, assumiu a condição de ‘laranja’ e fatalmente ‘perderá’ a cobertura, que ao final do litígio certamente será sequestrada em favor da União.

Bastava ao empresário dizer que havia recebido os aluguéis, que o imóvel era realmente seu e que ele havia comprado a título de investimento e locado ao ex-presidente Lula. Qual o problema?

Pronto! Tudo estaria resolvido, tanto para Lula, quanto para ele, Glaucos, que, de quebra, teria a bela cobertura amealhada.

Não. O bom velhinho optou por outro caminho. Fica evidente que foi um mero ‘laranja’ indicado pelo primo Bumlai.

E as alegações finais do Ministério Público são devastadoras e demonstram com clareza a falsidade dos recibos.

A condenação de Lula e de seu advogado Roberto Teixeira é certa.

E esta segunda pena será muito mais pesada que a do tríplex.

É só aguardar.
___________


___________

___________

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça