Pesquisa Manipulada: a velha arma eleitoral

Chega a ser gritante a tentativa de manipulação das pesquisas eleitorais, como forma de tentar forjar "a golpes de facão" uma popularidade falaciosameme "alta" do condenado brasileiro mais famoso do século.

Dados recentes de uma pesquisa eleitoral publicado pelo Instituto Datafolha quase matam de tanto rir os cidadãos brasileiros.

É evidente a tentativa de manipulação da opinião pública à favor do ícone messiânico da Ideologia marxista no Brasil.

O livro, "A Conquista da Opinião Pública- Como o Discurso Manipula as Escolhas Políticas", de Patrick Charaudeau, Ed. Contexto, apresenta algumas considerações importantes sobre a influência das pesquisas de intenção de voto nas eleições:

• As pesquisas fazem a palavra circular na arena pública;
• Refletem um estado definitivo ou simplesmente uma fotografia de um dado momento?;
• O que é medido por elas;
• Como é formulada a pergunta e o que ela induz como resposta possível?;
• O resultado da pesquisa é influenciado pela intenção de quem faz a pesquisa, a identidade do interrogado e a situação na qual eles se encontram;
• Etc.
Continuam afirmando : ..., as pesquisas de intenção de voto não são nada interessantes. Como na Bolsa, as cotações sobem e descem ao sabor das circunstâncias de uma campanha eleitoral....

O autor cita no livro o sociólogo Robert K. Merton: "É, no início, uma falsa definição da situação, e esta provoca um comportamento que faz com que essa definição falsa se torne verdadeira".

Ainda segundo ele, ..." Pode-se, também, com base da teoria da "espiral do silêncio", dizer que a pesquisa produz um efeito de arrastão, ...".

Como é nítido, pesquisas eleitorais tendenciosas, mídia comprometida com uma ideologia autoritária , urnas eletrônicas suspeitas e inauditáveis, TSE com ministros indicados politicamente, e uma população em sua maioria cansada e apática, são as últimas armas a serem utilizadas pela esquerda, na tentativa de concluir o seu projeto de poder (nos transformar em uma nova Venezuela).

Só tem um "pequeno" e importante  detalhe: esqueceram-se do poder das redes sociais e de seus intrépidos escritores anônimos e independentes.





Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Siga-nos no Twitter!

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários