Só Poesias: Pedaços de mim.

Pedaços de mim.

Pedaços de mim.

Sou intensa no amor

que me doma e me toma.

Filha do sol e da lua sou

eternamente nua.

Desejo sem razão

sou noite de luar.

Filha de iemanjá e de

ogum me senhor

é amar.

Sou alegre sou

triste sou louca e

rimas de uma loba.

Fera domada pintada

traçada perdida e amada.

Meu nome escrevem

no vento e rasgo o papel.

João ou Maria,

sou pebleu, ou anjos no céu.

Poeta ou não só rabisco

palavras para meu

grande amor.

Sou filha da

terra ou sereia do mar...

Sou de paz e fui

gerada na guerra.

Sou anjo ou santa

uma simples mortal que

seus demônios aponta.

Desejo e ternura,

sou escrava do amor

nunca sei onde

estou.

Pedaços de mim, rompidos

queimados em poemas

ditados.

Marisa Torres

© Direitos reservados.

São teus...

Todos meus sonhos e cantos.

Meu voo que já vagara tanto, tanto.

São teus meus desejos

e ilusão em busca de ti

em tantos e tantos beijos.

São tuas todas minhas vontades...

É tua a minha mais pobre a mais

rica forma de expressão.

A luz harmoniosa escondida que arde ao

falar das cores e flores...

És abrigo e emoção.

São teus...

Todos meus

sentidos e motivos.

Ás palavras mais simples

da verdade a perfeição...

Dos milagres dos céus

dos anjos és tentação.

Do inferno que me agita

és fogo e sedução.

Neste peito perdido é também

o meu vale de fé.

A vibração mais lenta em

meus pensamentos

Tu és maré.

Também são teus...

A minha joia mais preciosa

que se chama coração.

Minha chama do tempo...

Qual honra minha inspiração.

Meu amor...

Tal qual um cristal azul ou incolor.

Minhas melhores fantasias

tu governas noite e dia.

A curto ou longo, prazo são tuas

... Pois é tua criação.

Também são teus...

Todos grandes e pequenos

gestos meus.

Marisa Torres

© Direitos reservados.

Amar sem ter hora para olhar.

Assim é o nosso

amor, nos aceitamos como

somos sem ter hora para nada.

Sem hora marcada nos amamos e

na magia nos entregamos.

Somos livres como pássaros.

voando em sonhos nas noites de luar.

Há como é bom amar

sem tem hora para olhar.

Somos verdadeiros de

corpos... E de almas

mensageiros.

És minha estrela

corriqueira que brilha todas

manhãs como uma flecha certeira.

Sem ter hora marcada me viro em

melodia sou a perfeita natureza amada.

Somos como água cristalina, e

bravos como as ondas do mar.

Eu sou tua estrela brilhante

que encontrara quando

passava para o céu a olhar.

Somos fonte de prazer

mesmo sem nada dizer.

Eternos e sem horas, o tempo

passa e não vemos a hora passar.

Sem marcas nas horas sou

brisa lenta, sou fúria louca,

sou clara incerta,

sou nobre e delicada.

“Sem hora marcada tua

eterna namorada”.

Marisa Torres

© Direitos reservados.

Maria Catherine Rabello

Pernambucana, amante da poesia. “Amo minha vida e todos que fazem parte do meu mundo. Poesias são sonhos vividos, lembrados ou desejados. Poesia acalenta a alma e o coração. Sonhar é viver, viver feliz! Amo poesias, poesias de amor sempre! Sou sonhadora e feliz. Meus rabiscos são meus segredos, meu baú de sentimentos. Apresento lindas poesias de muitos corações iguais ao meu. Amar sempre!

Mais de Maria Catherine Rabello

Comentários