A SEGUNDA CARTA DE PALOCCI

Palocci deve relatar crimes obscuros que envolvem Lula, o PT e sua cúpula

O acordo de delação premiada de Antonio Palocci está emperrado. Tudo o que falou é considerado muito pouco, quase nada.

É esse o entendimento dos procuradores da força tarefa da Operação Lava Jato.

Assim, Palocci acaba de pedir para ser novamente ouvido pelo juiz Sérgio Moro.

O ex-ministro joga um jogo, faz ameaças e espera com isso obter vantagens nas instâncias superiores do Judiciário.

Uma segunda carta estaria sendo redigida.

Na primeira Palocci relatou o ‘pacto de sangue’ havido entre o ex-presidente Lula e o empresário Emílio Odebrecht.

A expectativa é de que para destravar de vez o seu acordo de delação, desta feita Palocci escancare de uma vez crimes cometidos, que ainda permanecem obscuros e que envolvem a alta cúpula petista e o ex-presidente Lula.

Uma coisa parece certa. Efetivamente Palocci, não obstante já ter angariado todo o ódio da cúpula petista, ainda não falou praticamente nada, fez muita encenação, mas ainda não soltou a língua presa.

No novo interrogatório com Moro, fatalmente trará novidades que certamente irão escandalizar o mundo político e jurídico.



da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça