Você nunca verá na TV: as verdadeiras dificuldades dos jovens médicos brasileiros

Se tornar um bom médico no Brasil está cada dia mais difícil.

O excelente nível dos candidatos no vestibular, o reduzido número de vagas em faculdades públicas, o alto valor da mensalidade nas faculdades particulares e a necessidade imperativa de se fazer uma boa residência médica  já não são os únicos obstáculos a serem superados por aqueles que optam por esse belo e importante ofício.

Os jovens profissionais brasileiros recém formados também precisarão  enfrentar a concorrência desleal daqueles jovens que para fugir do vestibular e das altas mensalidades cobradas nas faculdades brasileiras optaram por fazer seus cursos em faculdades fora do país (Bolívia e Paraguai, p.ex).

A utilização política e demagógica da saúde também tem trazido um grande prejuízo a estes profissionais, ao inflar um mercado cada dia mais saturado com médicos cubanos, e agora venezuelanos.

O Deputado Luis Henrique Mandetta (DEM-MS), um dos idealizadores da Frente Parlamentar da Medicina, fez uma brilhante análise dos reais motivos da má distribuição de médicos pelo interior do país, quando se posicionou contra a utilização eleitoreira do Programa Mais Médicos pelo governo do PT na gestão da presidente Dilma Rousseff.

Veja o vídeo:




Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Médico anestesiologista, socorrista e professor universitário

Mais de Roberto Corrêa Ribeiro de Oliveira

Comentários