Para os pseudo-intelectuais da esquerda é impossível um pobre ser feliz, por isso é "permitido" roubar

Um dia depois do colunista (dizem que também é ator, escritor etc.) da Folha, Gregório Duvivier, chamar pobres de sub-humanos, Maria Ribeiro (atriz e colunista do Globo) acrescentou aos absurdos da classe "artística" que pobre é infeliz.

Está lá no texto dela a seguinte passagem :

"Filho, se você não tem uma escola bacana pra aprender coisas novas, se você fica doente e não tem um médico pra te dar o remédio certo, se a sua mãe trabalha o dia todo e ainda fica quatro horas por dia no transporte e por isso passa pouco tempo do seu lado, e se você não tem uma quadra de esportes pra brincar perto de casa, você dificilmente vai ser uma criança feliz."
Compreendo que é mesmo difícil para alguém que se intitula uma materialista entender as sutilezas do espírito que se alimenta não de eletrônicos ou tênis da moda mas de AMOR, AFETO, CUIDADO, PROTEÇÃO, VALORES.

Esses alimentos não são comprados com dinheiro, talvez a "sorte" dela de ter nascido em berço esplêndido e sempre ter tido seguro saúde não tenha sido tanta sorte assim já que não lhe passa pela cabeça a possibilidade de felicidade nas famílias mais simples e pobres.

É uma pobre menina rica que desconhece as maravilhas além da matéria.

Inclusive, é por desconhecer o Amor que ela chega ao cúmulo do absurdo: atropela o bom senso e ensina ao próprio filho o erro. Inverte os valores. Subverte a Moral. Confunde o certo e o errado.

"Acontece que você muitas vezes não tem dinheiro pra nada disso, e, por acaso — ou não, óbvio que não, que desigualdade não é acaso — você vê, diariamente, e bem do seu lado, alguém com a mesma idade que você, com as mesmas duas pernas e os mesmos dois braços, só que com dez tênis e três eletrônicos. Você fica com vontade de ter também, filho, e às vezes você rouba, porque essa diferença, ou sorte, é mesmo muito injusta."
Outra Maria, a que pega 4 conduções, que trabalha dignamente, que chega em casa exausta e vai cuidar da família, JAMAIS diria isso ao próprio filho. As Marias mais pobres, que saem de casa para trabalhar e sabem que a qualquer momento seu filho poderá ser tragado para o mundo do CRIME, repetem todos os dias aos seus filhos que ROUBAR É ERRADO e IMPLORAM para que não entrem nesta vida.

Só mesmo Maria, a Ribeiro, que acha pobre infeliz e potencial ladrão, ensina ao seu filho que existe justificava para o roubo e ainda acha isso bonito ao ponto de levar para uma coluna de jornal.

Gostaria de ver se lhe arderia a cara de vergonha ela falar isso para a mãe do menino, João Hélio, que foi arrastado por quarteirões num martírio abominável executado por ASSALTANTES.

Além de materialista, uma irresponsável desprezível.

Eu tive uma infância pobre e (pra o azar de Maria Ribeiro) felicíssima. Tudo o que tenho hoje é fruto EXCLUSIVO do meu trabalho honesto e esforço individual conforme MINHA MÃE sempre me ensinou. E é o que eu ensino à minha filha também. O que é o certo e o que é o errado.

E falando em filhos, eu espero que o CONSELHO TUTELAR bata em sua porta pois induzir uma criança ao ilícito é CRIME.

A propósito, é assim que se escreve um texto.

#Absurdo
#NemInfelizEnemBandido
#Cretina
#IRRESPONSÁVEL

(Texto de Michele Prado, de Salvador-BA)



da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Circulando na rede