A perfeita definição do trio formado por Zanin, Teixeira e Sepúlveda (Veja o Vídeo)

O que levou Cristiano Zanin a desempenhar durante um longo tempo o papel de principal defensor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – perdendo essa posição para Sepúlveda Pertence - foi a sua condição de genro de Roberto Teixeira. Nada mais.

É possível até que Zanin seja um rapaz estudioso e tenha um bom conhecimento jurídico, mas é um deslumbrado, que desconhece tática, estratégia e ética.

O tratamento que ele dispensou ao juiz Sérgio Moro nas audiências foi melancólico, estigmatizando-o como um advogado deselegante, mal-educado e desrespeitoso.

Sua carreira está resumida a esta única causa.

A reprimenda que certa feita levou do advogado Renê Dotti é a mais clara demonstração de sua conduta tortuosa.

Veja o vídeo:

Roberto Teixeira, a rigor e na realidade não é advogado de Lula, nem de ninguém. É um homem de negócios e negociatas. É comparsa de Lula há mais de 30 anos. É réu na Lava Jato.

Matéria publicada pelo Jornal da Cidade Online, revelando o fim fraudulento da Varig no 1º governo Lula, demonstra de maneira inequívoca esta faceta. Veja a matéria aqui neste link.

Sepúlveda Pertence, por sua vez, foi o maior derrotado. Literalmente, jogou sua biografia na ‘lata do lixo’.

A jornalista Vera Magalhães fez uma análise bastante precisa de sua atuação ao lado de Cristiano Zanin. Foi cirúrgica.

Veja o vídeo:





da Redação

Siga-nos no Twitter!

Comentários

Mais em Direito e Justiça