Como passar no ENEM e tirar nota máxima na redação

São tantas as dúvidas dos estudantes em relação ao ENEM, que com base num estudo científico feito ao longo dos anos, resolvi editar um pequeno manual com os 10 passos para passar no ENEM, e com nota máxima na redação.

Esse estudo leva em consideração a cabeça de merda dos avaliadores e as ideologias estúpidas dos organizadores, assim como tudo aquilo que frequentemente é visto dentro das universidades. Vamos aos 10 passos.

1. Ao se inscrever declare-se de uma minoria qualquer, vítima da sociedade e de qualquer tipo de preconceito. Se autodeclare um excluído até dos grupos excluídos. Você deverá incorporar a figura do sujeito mais injustiçado do mundo.

2. Na redação não importa o tema proposto. Transforme-o em bandeira de luta da esquerda, dissertando sobre como isso afeta a vida de "bilhões" de brasileiros. Claro, o Brasil só tem 200 milhões, mas esse erro para a esquerda não é erro, quando se trata de superdimensionar o vitimismo.

Por exemplo: Se o tema for "PICOLÉ DE COCO", dê um jeito de falar que o picolé de coco oprime o picolé de chocolate e discrimina o picolé de morango. O primeiro pela coloração e o segundo por uma questão de gênero. Se o tema for "PAPAI NOEL", diga que o Papai Noel - pela barba - é na verdade o próprio Karl Marx vestido de vermelho (lógico), que invade a casa do proletário pela chaminé, para socializar presentes às vítimas do capitalismo selvagem. Isso vai te dar nota 10.

3. No texto, finja ser altamente doutrinável e manipulável. Eles adoram isso. Nem tente colocar sua opinião ou aquilo que você realmente pensa. Os esquerdopatas querem que você coloque a opinião deles e concordem com tudo o que eles pensam. Se o tema da redação for "O COMUNISMO É BOM?", responda apenas "sim". Isso pra eles já é uma redação completa. Se você tentar usar "mas", "contudo", "todavia" ou "entretanto" depois do sim, você vai cagar tudo. Não tem ‘mas’ e nem ‘outrossim’.... Para os doentes é "sim" e fim de papo.

4. Na redação você tem que divergir do tema, suscitando sempre o politicamente correto. Mas não use palavras "difíceis" como "divergir" ou "suscitar como eu fiz, porque eles podem desconfiar que você tem alguma inteligência e pode não ser doutrinável.

5. Seja qual for o tema, procure um jeito de inserir no corpo do texto alguns elementos que são recorrentes na mídia esquerdopata; A liberação da maconha pode ser um deles, assim como o pacifismo contra o tráfico de drogas, como por exemplo, se o tema for "A ASTRONOMIA MODERNA", diga que "a astronomia moderna é vinculada à hipersensibilidade do observador em detalhar a arquitetura celestial, observador esse que, ao fumar a maconha que deveria ser liberada, possibilita a visualização acurada dos astros devido ao inofensivo THC, e também como este orienta o ser humano para que de forma pacífica dê um abraço simbólico na Lagoa, como sinalização de intenção de diálogo com o Rogério 157, sem a intervenção da polícia opressora e desumana" .

Perfeito! Você vai se mostrar um maconheiro que não diz nada com nada (sequer pensa), e portanto um perfeito "doutrinável" de esquerda. Lembre-se que falar mal da polícia, defender direitos de bandidos e falar bem da maconha é tiro e queda para tirar nota 10. Ops... tiro e queda não... É cantar "Imagine" e dar mais um tapa.

6. Não esqueça de no meio do texto citar filósofos como Leandro Karnal e Marilena Chauí, falar mal da Globo, colocar a culpa da violência na sociedade, dizer que a Suzane Richthofen apenas quis livrar o mundo do capitalista opressor que era o pai dela, exalte Maduro, chame o Che Guevara de "Mestre" e o Fidel de "Ídolo".

Mesmo que o tema não tenha relação com política ou geografia, insira algo sobre Cuba, falando sobre sua maravilhosa democracia e respeito aos direitos civis e humanos. Por exemplo... TEMA: "EQUILÍBRIO DO ECOSSISTEMA": No meio do texto coloque algo como: "O equilíbrio do ecossistema é representado na Terra pelo equilíbrio social existente em Cuba, onde a medicina é moderna e todos são felizes, porque possui uma democracia plena". Finalize essa parte fazendo uma menção ao Louis Armstrong, dizendo que ele compôs "What a Wonderful World" em Havana.

7. Na redação fale em John Lenin. Sim, eu sei que é John Lennon, mas propositalmente faça uma fusão de Lennon com Lenin. Se puder colocar uma pitada do Lenine no meio, vai dar um "up" no negócio. Os avaliadores vão adorar! Eles até vão achar que você já passou da maconha para a Cocaína Bisurada. O máximo da alienação!

8. Se ainda houver espaço na redação, defenda as orgias nas repúblicas e nos campus e aproveite para repudiar qualquer entrada de policiais no campus, mesmo que esse seja um antro de tráfico de drogas.

9. Em algum lugar a palavra "golpe" deve entrar pelo menos cinco vezes. Fale de 1964 com toda propriedade do mundo e o quanto isso te deixou traumatizado e cheio de problemas psicológicos, mesmo que você tenha nascido no ano 2000, ou seja, 36 anos depois do contragolpe (não fale em contragolpe nunca!) e 15 anos depois do fim do regime militar. Pode fazer isso! Até hoje tem gente que tem sequelas da pandemia da peste bubônica ocorrida em 1343! Ah... já ia me esquecendo... Use termos como "empoderamento" e defenda também a operação de troca de sexos em bebês!

Os avaliadores vão ter orgasmos com isso.

10. Encerre o seu texto dizendo que os professores universitários que possuem salários de 20 a 30 mil reais não podem viver de forma tão indigna com esses baixos salários indignos e ultrajantes. Com isso você vai garantir a nota máxima, mesmo escrevendo errado todas as outras palavras do texto.

Eu vou te dar um conselho: Se puder, defenda também programas sociais voltados para os alunos revoltadinhos, tais como o Proameba, Proxiúros e o Prosmose, e que eles garantam o não jubilamento por fumar maconha em vez de assistir aulas, podendo o aluno ficar 25 anos num curso de 3 anos e meio (desde que faça parte do DCE).




Mais de Marcelo Rates Quaranta

Comentários

Notícias relacionadas