Aético, Sepúlveda tenta acuar ministro Luiz Fux

A atuação do advogado Sepúlveda Pertence tem sido bem a altura de seu parceiro, o abobalhado Cristiano Zanin. Medíocre e indecorosa.

Sua mais recente investida contra o ministro Luiz Fux, revela o novo tom dado a sua decadente carreira jurídica.

Analisemos os fatos e a atitude de Sepúlveda.

A esposa do filho de Sepúlveda Pertence é chefe de gabinete do ministro Luiz Fux. Portanto entre o advogado e o ministro não existe qualquer laço mais forte ou de parentesco.

Fux, indiscutivelmente, tem sido um dos mais firmes magistrados do STF em posicionamentos contra os corruptos e a corrupção, desde o mensalão.

Logo, tudo indica que Fux será voto contra qualquer tentativa de assegurar a impunidade a Lula.

Por outro lado, cada caso é um caso, cada processo é um processo, cada qual com suas peculiaridades. Isto é óbvio e Sepúlveda sabe disso.

No caso André Esteves, onde o advogado era Sepúlveda Pertence, Fux não participou do julgamento, declarou-se suspeito.

Questionado sobre o caso Lula e uma eventual participação do ministro Fux no julgamento, Sepúlveda, por uma obrigação ética e moral, deveria dizer que se trata de uma decisão eminentemente pessoal do magistrado, cabendo tão somente a ele a análise.

Sim, Sepúlveda disso isso, mas, para não fugir a regra adotada pela defesa de Lula, fez um comentário pernóstico e mal intencionado, buscando acuar o ministro.

Disse ele: ‘No meu escritório, se o caso já está distribuído ao ministro Fux, não aceitamos a causa. Quanto à posição do ministro Fux, não posso declarar nada.’

É lamentável!




da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça