Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Guarde um pouco que a sua hora está chegando (Veja o Vídeo)

A senadora ‘Crazy Hofman’ diz que a iminente prisão do ex presidente Lula é um tapa na cara do povo brasileiro.

É mesmo.

O povo brasileiro, acostumado aos afagos de Pasadena, Belo Monte, Odebrecht, Postalis, JBF, precisa de um tapa na cara para acordar.

Sabe aquela crise histérica no avião? O que a psicologia não alcança, o tapão resolve.

Diz que vai lutar até as últimas consequências.

Deve mesmo lutar.

As últimas consequências, neste caso, se chamam STF, uma corte com onze juízes, sete deles indicados pelos governos "progressistas e populares".

Depois da derrota em três instâncias, seria um desperdício não perder de ponta a ponta.

Diz que vai pagar para ver.

Tomara que pague.

É uma dívida histórica essa que os "progressistas" têm com o Brasil.

Já passou da hora de começaram a pagar pela década perdida.

Diz que não vai aceitar mansamente a decisão judicial.

Tamo junto.

Eu também não aceito mansamente o Imposto de Renda.

Eu xingo, blasfemo, amaldiçoo.

Mas no final de abril, nem que seja no último dia, tá lá minha declaração.

Não aceito mansamente o sinal vermelho quando estou com pressa.

Aceito emburrado, o pé nervoso no acelerador.

Não aceito mansamente chuva no feriado, derrota do Botafogo, raios-x indicando que tenho que fazer canal.

Aceito inconformado.

A senadora não deve abrir mão do seu direito de espernear.

Até porque é só o que lhe resta, na falta de argumentos jurídicos.

E se eu pudesse lhe dar um conselho, seria para não gastar todas as ameaças agora.

Vai precisar de algumas delas quando for a sua vez de ir em cana.

Veja o vídeo:





Eduardo Affonso

É arquiteto no Rio de Janeiro.

Mais de Eduardo Affonso

Comentários

Notícias relacionadas