João Henrique de Miranda Sá

Jornalista independente em Campo Grande - MS.

Projeto Brincantes - perpetuando boa e velha infância

A importância da interação real na construção dos indivíduos sadios

Parece brincadeira...

“Um, dois, três, quatro, cinco, seis, sete, oito, nove, dez...  trinta! Lá vou eu!!”

Quem de nós não tem dezenas de histórias hilárias pra contar daqueles breves momentos de ansiedade pura, com a testa sobre o antebraço, encostado num muro, poste ou portão? É do esconde-esconde mesmo que estou falando!

Muitas das características essenciais de nosso amigos, nos são reveladas na dinâmica das muitas formas tradicionais de brincar, bem como as nossas a eles: “Fulano não sabia se esconder sempre era encontrado primeiro”; “Ciclano se escondia muito bem, ninguém achava e a turma gritava pra ele sair por si do esconderijo...”, “... é chorão!”, “... é valente..”, e assim por diante.

Queimada, bets, corre-cotia, escravos-de-Jó, são brincadeiras tradicionais fundamentais na construção de indivíduos que sabem dar e receber, auxiliar e ser auxiliado, pois competem sim entre si. Também exercitam fraternidade ao repartir pouco entre muitos, o altruísmo auxiliando um amigo em apuros e humildade de quem bem cedo aprende a ser ajudado.

Toda brincadeira tem suas regras, vivas, e negocia-se o tempo todo brincando descalço, com bola, peteca, boneca ou carrinho. Aprendemos a ser flexíveis, e também a impor nossa vontade.

Tá brincando?

Paradoxal, mas estou falando sério.

Resgatar as brincadeiras tradicionais é uma necessidade premente. Falamos pros nossos pequenos, enquanto eles estão ao computador, tablet ou celular, de “...como era no meu tempo.”, e o nosso tempo e o tempo deles é o mesmo!

Fomos colhidos por uma avalanche tecnológica que nos engoliu e não estamos aproveitando-a direito, nos tirará as referências e o contato com nossas raízes mais primitivas e tradicionais, à medida em que além do estudo, as crianças passam tempo demasiado conectados à WEB, e distantes uns dos outros.

Não precisa ser assim e nem é bom que assim permaneça.

   O Projeto Brincantes veio para ficar e deixar conosco as brincadeiras que fazem parte do nosso alicerce individual. Ramona Rodrigues comanda as atividades desde 2013. É arte-educadora e atriz há mais de 30 anos.

Vamos estudar e nos comunicar pelos canais da WEB? Vamos!

Vamos nos conhecer, construir e alegrar via interação real, alegre e física; vamos dar topada como dedão na terra, ralar o joelho correndo e sujar o short na areia. Boraaa!!   

Imagem: Mara Rojas
Imagem: Mara Rojas

Afinal, o que é a infância sem tudo de bom que nos lembramos?

Nossos meninos e meninas merecem tanto quanto nós a alegria e a liberdade duma praça, dos amigos e da brincadeira.

Praça do Peixe - domingo (18/03) das 17h ás 20h - tem brincadeira, tem alegria e tem infância de verdade.

Traga seu filho, brinquem conosco.

João Henrique de Miranda Sá

Jornalista independente em Campo Grande - MS.

Mais de João Henrique de Miranda Sá

Comentários

Notícias relacionadas