Saiba a real procedência das balas que mataram Marielle

A polícia já tem em mãos vídeos do momento do atentado.

Já sabemos exatamente de onde vieram as balas que mataram a vereadora carioca Mariella Franco.

Basta vontade que os executores da ‘execução’ serão devidamente descobertos e nominados.

A polícia já tem em mãos vídeos do momento do atentado.

De fato, a munição fazia parte de um lote adquirido pela Polícia Federal em 2006, no governo do ex-presidente Lula, há mais de doze anos, portanto.

Esse lote foi subtraído (talvez, roubado) das dependências da Polícia Federal em Brasília e já houvera sido utilizado num outro crime em 2015.

A maior chacina acontecida em São Paulo até hoje, que matou 23 pessoas usou o mesmo lote de balas UZZ-18.

Uma organização criminosa agiu naquela ocasião.

Obviamente, a mesma organização ceifou a vida da parlamentar carioca.

Foi evidentemente crime de mando, operado pelo mundo do crime.




da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça