Golpe contra prisão em 2ª instância, pode resultar em contragolpe nas mãos de outra mulher

Os ministros que agem em conluio com o advogado Sepúlveda Pertence para salvar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da cadeia, poderão ser surpreendidos.

O Habeas Corpus proposto na Corte por uma suposta Associação dos Advogados do Ceará, distribuído para o ministro Gilmar Mendes, que inclusive levou um ‘tomataço’ na manhã desta segunda-feira (19), (Veja Aqui), pode não obter o êxito pretendido, caso Gilmar fure a norma da casa e leve o HC para à mesa.

O ‘contragolpe’ está depositado nas mãos da ministra Rosa Weber.

Voto contabilizado pela prisão apenas após o trânsito em julgado de sentença condenatória em última instância, a ministra por questão de convicção pessoal, está propensa a votar no que foi decidido em 2016 pelo colegiado, mantendo o mesmo 6 a 5 no placar.

A ministra é fiel defensora da ideia de que as decisões da maioria da Corte devem ser sempre respeitadas, mesmo que a convicção pessoal do magistrado seja outra.

Logo, é bastante provável que em caso de ‘golpe’ contra a prisão em 2ª instância, ela seja a protagonista do ‘contragolpe’.

Um outro fator preponderante seria a solidariedade à ministra Cármen Lúcia, covardemente atacada no HC dos cearenses. Veja abaixo um trecho da petição:

Assim, há quem diga que se Gilmar levar o HC à mesa do STF, poderá ser derrotado.

Vamos aguardar.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça