Cármen Lúcia foi estrategista, pegou Gilmar no contrapé e STF deve negar o HC de Lula

Há um velho bordão popular que diz que ‘de cabeça de juiz e de bumbum de nenê, ninguém sabe o que vem’.

É verdade, mormente quando nos referimos ao Supremo Tribunal Federal (STF), onde além do fogo das vaidades, predominam uma série de interesses inconfessáveis.

É um tribunal eminentemente político, infelizmente.

Fosse o Brasil um país mais rigoroso com os crimes e os criminosos, Lula já estaria preso há muito tempo. Jamais estaria passeando pelo país, montado numa odiosa caravana, desafiando instituições, agredindo autoridades e zombando do povo.

Assim, a pressão sobre a presidente do STF assumiu uma condição insustentável. Cármen Lúcia havia até avaliado a possibilidade de renunciar ao cargo, caso o complô de ministros, comandados por Gilmar Mendes, avançasse sobre suas prerrogativas, o que parecia inevitável.

Veio então a estratégia brilhante e sua única saída: pautou o HC de Lula, ao invés das Ações Diretas de Constitucionalidade, o que, inclusive, levou Gilmar aos prantos e a distribuir ofensas aos demais ministros, notadamente à própria presidente, ao ministro Fux e ao ministro Luís Roberto Barroso, que reagiu com veemência, levando toda a nação ao delírio, desmoralizando Gilmar.

Pautando o HC de Lula, a ministra evita a discussão da mudança de entendimento da Corte e ‘obriga’ que os votos sejam baseados no atual entendimento, que justamente prevê a prisão após condenação em 2ª instância.

Com isso ela provavelmente ganha o voto da ministra Rosa Weber, que tem aplicado em todos os seus votos a jurisprudência do STF.

Diante disso, a previsão é arriscada, mas tudo leva a crer que o HC de Lula será indeferido, possivelmente por 6 a 5.

Lula será preso na próxima segunda-feira em Santa Catarina, bem próximo de Curitiba.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça