Desnudando Gilmar, o homem que em 17 meses viveu uma estupenda metamorfose (Veja o Vídeo)

Qual é o motivo que levou o suprassumo Gilmar Mendes após apenas 17 meses mudar o seu entendimento sobre a prisão após a sentença condenatória ser confirmada em grau de recurso de apelação por colegiado.

Seria por causa de Aécio Neves, Michel Temer, entre outros amigos?

Impressionante a mudança, que demonstra que tudo o que foi dito nesta quarta-feira (21) pelo ministro Luís Roberto Barroso é a mais absoluta e cristalina verdade.   

Aliás, sobre o assunto vale a pena ver o que disse o jornalista Josias de Souza em sua coluna no site UOL:

“Quem ouve esse Gilmar Mendes de 2016 tem dificuldades para entender a metamorfose que o transformou em protagonista do enredo que pode resultar na revisão da regra sobre prisão. Em sua versão 2018, Gilmar está decidido a modificar o voto. Ele agora quer retardar o encarceramento pelo menos até a terceira instância do Judiciário, permitindo aos condenados com bolso para pagar bons criminalistas que recorram em liberdade ao Superior Tribunal de Justiça. Dá de ombros para o fato de que o índice de absolvições no STJ é ínfimo: 0,62%.
O Gilmar Mendes de 2016 não ignorava que juízes de primeiro grau e tribunais de segunda instância poderiam cometer erros. Mas ele parecia despreocupado. ‘Não vamos esquecer: o sistema permite correção’, tranquilizava. ‘Permite até o impedimento do início da execução da pena, com obtenção de liminar em habeas corpus’.
Antes de 2016, Gilmar Mendes tinha uma visão estática do conceito de presunção de inocência. Só admitia a prisão depois de esgotadas todas possibilidades de recurso, inclusive ao Supremo Tribunal Federal. Súbito, ampliou seus horizontes: ‘Praticamente não se conhece no mundo civilizado um país que exija o trânsito em julgado’ disse na sessão de 17 meses atrás.”
Veja exatamente o que dizia Gilmar Mendes quando guerreava pela prisão na 2ª instância:

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça