Balas que mataram Marielle foram usadas em guerra entre traficantes

Pelo menos dois homicídios envolvendo traficantes de drogas ocorreram com munição do mesmo lote UZZ-18 utilizado no assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes.

Traficantes da comunidade denominada 590 de São Gonçalo teriam matado rivais de uma outra facção criminosa utilizando a munição.

Um dos envolvidos nesses episódios é o traficante conhecido como Cleytinho, que está preso e deve ir a júri popular sob a acusação de ser o autor desses crimes.

Foram assassinados pelo tal Cleytinho, dois rivais no mundo do tráfico, Wallace Mendes Araújo e Matheus da Silva Carvalho.

Marielle e Anderson foram mortos na noite do último dia 14, no bairro do Estácio, Centro do Rio. O carro onde os dois estavam foi atingido por pelo menos 13 disparos de arma de fogo.

A polícia ainda não se manifestou oficialmente, mas sabe-se que já tem como certa a questão de que o assassinato de Marielle não foi crime político, como vem pregando o PSOL e demais partidos de esquerda.

O motivo da morte de Marielle foi outro...

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Polícia