Bom pensamento, alavanca para reduzir os “gaps” entre planos e metas, ficções e realidades

Para que alguém desperdiçar um minuto do seu valioso tempo para maquinar subtrações? Qual a vantagem de se montar ardis, ganhar “x” agora e perder “2x” mais tarde? Não há malfeito perpetuamente encoberto, nem malfeitor indefinidamente impune. A realidade nos mostra que quem gasta tempo bom com ideias ruins, ao final acaba ficando com menos do que possuía...

Ao pôr a mente para funcionar, pense coisas boas, que vão lhe dar alegria, lucro, satisfação íntima, autorrealização. Esqueça pensamentos oblíquos, que não tragam no seu bojo a chancela do bem-fazer. Use seu intelecto para criar e somar, para viver melhor, jamais para elucubrações que ao final representem prejuízos, seus e alheios.

Pensamentos sem um fio condutor, que mudam a toda hora desperdiçando tempo, energia e recursos? Não, definitivamente não é essa a tônica da ação que monitorará seu proceder e o fará ascender do básico ao exponencial. O pensamento bem engendrado é um poder que temos e que nos ajuda a potencializar conquistas.

Seja perspicaz. Ao ajustar o mundo no telescópio do pensamento, foque-o em boas direções. Ele tem uma lente que se abre num diâmetro tal que lhe permite descortinar a brisa e a tempestade, a planície e o abismo, e, assim, escolher a melhor opção para definir a bem-aventurada trajetória da sua vida.

O bom pensamento é uma hóstia para a corpo, um saltério para o coração. O bom pensamento nos eleva, nos conduz por bons lugares, purifica a matéria e o espírito. Qual bênção divinal, inspira novos planos, factibiliza metas e transforma ficções em realidades.

Inácio Dantas

Economista, Contabilista, professor universitário, escritor, poeta e radialista.

Siga-nos no Twitter!

Mais de Inácio Dantas

Comentários

Notícias relacionadas