Plano de ministros é tentar soltar Lula na quarta, contra os interesses do autor da ação

A intenção de colocar novamente em discussão no plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) a questão da prisão em segunda instância deverá ser efetivada na próxima quarta-feira (11) pelo ministro Marco Aurélio Mello.

A trama visa assegurar a impunidade ao corrupto e lavador de dinheiro Luiz Inácio Lula da Silva, preso no último sábado (7), após exaustivas negociações entre os seus advogados e a Polícia Federal.

Estranhamente, o pedido apresentado pelo advogado conhecido como Kakay, não conta com a aprovação do próprio cliente, o Partido Ecológico Nacional (PEN).

O presidente do PEN Adilson Barroso denunciou que o advogado agiu sem o seu consentimento. O fato é gravíssimo e absolutamente aético, mas está sendo ignorado pelo relator da ação no STF (Veja Aqui).

 

Revela-se ai um episódio inusitado. O STF com pressa de analisar um pedido de liminar que o próprio autor da ação manifestou publicamente o desinteresse.

Parece evidente o esquema entre advogado e ministros para beneficiar o meliante petista.

Uma notável aberração jurídica.

A sociedade precisa continuar se manifestando nas redes sociais e nas ruas para barrar esse 'golpe'.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça