Professora de Universidade Federal (UFPEL) diz que resolveu "expor o pior" de si mesma ao fazer ameaças de morte

‘Fascistas têm de morrer, um a um, e me inscrevo para essa missão’, escreveu bem assim a professora e doutora Rejane Barreto Jardim, coordenadora do Laboratório de Estudos Feministas da Universidade Federal de Pelotas (RS).

A UFPEL é pública, mantida com dinheiro dos contribuintes, o que quer dizer que nós pagamos os salários de Rejane para que ela nos ameace de morte. Ela também é professora de História Medieval.

Morte aos fascistas!
Apela aos seus correligionários lulopetistas a professora pública, ao se referir a todos os patriotas brasileiros que defendem a prisão do réu condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula da Silva.
Leitores que acompanham os posts de Rejane Barreto Jardim, compartilharam do discurso de ódio, sobretudo quando ela escreve:
- Meu ódio é revolucionário e é ódio de classe, sim. Odeio burguês. E você, cuide-se para saber de que lado está.
É lamentável e até inacreditável quando tal espetáculo maligno parte de uma pessoa supostamente intelectualizada.

Essa é a democracia do PT.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política