Militantes "sem noção" tornam a vida de Lula na prisão ainda mais insuportável

Finalmente encarcerado em Curitiba, Lula descobriu que o cotidiano no xilindró pode ficar muito pior se vingarem as ideias de jerico paridas pela companheirada. Primeiro, Lula teve de evitar que Eduardo Suplicy cumprisse a promessa de tornar-se prisioneiro voluntário e dividir um beliche com o chefão.

A mais terrível forma de solidão é a companhia de Suplicy.

No momento, o Deus da seita procura escapar do castigo inventado pela sacerdotisa Gleisi Hoffmann: sempre às sete da manhã, o bando de desocupados que anda dormindo na calçada em frente do prédio da Polícia Federal berra em coro a saudação:

“Bom dia, presidente Lula”. Como se pudesse ser bom mais um dia na gaiola.
Texto de Augusto Nunes

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Política