Juíza encara desafio de Paulo Pimenta e barra visita de deputados a Lula

E agora Pimenta? Vai invadir o prédio da PFl?

A juíza Carolina Lebbos vetou a visita que deputados federais pretendiam fazer nesta terça-feira ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Antes da análise da magistrada, o indecoroso e medíocre deputado Paulo Pimenta havia lançado um desfafio.

“Nós comunicamos a juíza que terça-feira, às 11 horas da manhã, a comissão estará aqui. E nós vamos entrar na Polícia Federal. E nós vamos visitar o presidente Lula.”
Pimenta ainda complementou:
“E se ela, o procurador, o delegado ou qualquer agente público tentar nos impedir, vai cometer um crime, contra a prerrogativa que a Constituição nos dá.”
Pronto! A juíza negou. E agora deputado?

Veja um trecho do despacho de Carolina Lebbos:

“Como ressaltado em decisões anteriores, jamais chegou ao conhecimento deste Juízo de execução informação de violação a direitos de pessoas custodiadas na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, as quais contam com defesas técnicas constituídas. Especificamente em relação ao ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, reservou-se, inclusive, espécie de Sala de Estado Maior, separada dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física.
Reitere-se, ainda, que em menos de duas semanas da prisão do executado já chegaram a este Juízo três requerimentos de realização de diligência no estabelecimento de custódia, sem indicação de fatos concretos a justificá-los. A repetida efetivação de tais atos, além de despida de razoabilidade e motivação, apresenta-se incompatível com o regular funcionamento da repartição pública e dificulta a rotina do estabelecimento de custódia. Acaba por prejudicar o adequado cumprimento da pena e a segurança da unidade e de seus arredores.”
A magistrada tem toda a razão.

Lula é um preso comum.

Ponto final.

da Redação

Siga-nos no Twitter!

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça