Alegação utilizada em pedido de desbloqueio dos bens de Lula é pilhéria

As investidas patéticas do advogado Cristiano Zanin nos processos em curso na República de Curitiba, são nauseantes e até inacreditáveis.

Zanin age como se atuasse num mundo só dele, sem que ninguém estivesse observando os seus passos e o que se passa a sua volta e na vida de seu cliente Lula.

Em petição protocolada nesta sexta-feira (27), o advogado, em mais uma de suas enfadonhas intervenções, pede o desbloqueio dos bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A alegação é patética, inaceitável e sem o menor cabimento. Segundo ele, o bloqueio dificulta a “subsistência” do ex-presidente e a de seus familiares e o direito dele à defesa.

Há poucos dias, Lula viajava pelo Brasil em jatinho particular.

Hoje, Lula está preso, sendo mantido pelo estado. Quanto a seus familiares são todos maiores de idade, empresários, envolvidos em inúmeros negócios e, nos casos de Lulinha e Luleco, também acusados em casos de corrupção.

Além disso, Lula está condenado por corrupção, logo, é óbvio que o que roubou precisa ser ressarcido.

Incabível qualquer pretensão de desbloqueio de bens.

Primeiro tem que acertar a conta com o povo brasileiro.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça