Todo errado e ilegal, presidente do TRF-1 resolve atacar Moro

O juiz Sérgio Moro determinou a extradição do lobista Raul Schimidt Felippe Júnior, preso em Portugal e acusado de operar a distribuição de dinheiro de propinas aos ex-diretores da Petrobras Jorge Zelada, Renato Duque e Nestor Cerveró.

Schimidt recorreu ao TRF-4, tribunal a qual o juiz da República de Curitiba está subordinado, que manteve a decisão. Na sequência, o lobista impetrou novo recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que também manteve a decisão.

Eis que, num malabarismo jurídico inusitado e ilegal, a defesa do lobista entrou com um outro pedido de anulação da extradição junto ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Estranhamente e de maneira totalmente descabida, um desembargador do TRF-1 concedeu a liminar.

Moro evidentemente ignorou a decisão e determinou o prosseguimento dos procedimentos para extradição do criminoso.

Neste sábado (28), o presidente do TRF-1, desembargador Ney Belo emitiu uma nota criticando a decisão de Moro, dizendo que o juiz da Lava Jato ‘atenta contra o Judiciário’.

Ou seja, o TRF-1 ignora uma decisão do STJ e é Moro quem atenta contra o Judiciário?

Aliás, o TRF-1 é absolutamente incompetente para recursos contra decisões da Lava Jato de Curitiba.

Cabe ai uma representação no CNJ contra o desembargador que expediu a liminar e contra o presidente do colegiado pelas declarações estapafúrdias.

Moro é inigualável, age dentro da lei, com coragem e sem medo de 'cara feia'.

da Redação

Notícias relacionadas

Comentários

Mais em Direito e Justiça