Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

O naufrágio da SUBMARINO, outrora uma empresa confiável na internet

Percebe-se o naufrágio de um país quando grandes empresas, outrora confiáveis, passam a deitar e rolar na relação com os consumidores e assumem abertamente o vilipêndio à legislação vigente no Brasil. É o caso da gigante de vendas Submarino, do grupo B2W Digital.

Fiz uma compra no Submarino em 13/04/2018, com vista a ser presente de Dia das Mães. O pagamento via Cartão de Crédito foi confirmado imediatamente. No dia 15/04, o app e o site informaram que a Nota Fiscal fora emitida e o pedido estava sendo "preparado para envio".

Hoje, 05/05/2018 (portanto, 22 dias após efetivada a compra e 20 dias após a nota fiscal ser emitida), recebi um email da empresa informando minha suposta "solicitação de cancelamento do pedido". M-E-N-T-I-R-A deslavada! Sequer recebi o produto, quiçá solicitei qualquer cancelamento.

Daí, começou a sucessão de transtornos que acabou com meu Final de Semana...

Acabei descobrindo que o Submarino não disponibiliza mais SAC online, via chat. As únicas opções são: envio de email ou teleatendimento através do número 4003-5544.

Mandei um email. A resposta foi imediata:


"Your message to [email protected] couldn't be delivered. atendimento wasn't found at submarino.com.br" (em tradução literal: "Sua mensagem para [email protected] não pôde ser entregue. atendimento não foi encontrado no submarino.com.br").
Tentei, então, o ‘teleatendimento’. Bizarra surpresa: a empresa não disponibiliza mais atendentes. Há apenas o atendimento eletrônico, que não soluciona problemas e desliga sumariamente as ligações quando acredita ter prestado todas as informações superficiais.

Nota-se aqui que o Submarino optou por atentar descaradamente contra a previsão legal dos Arts. 2º a 8º do Decreto nº 6.523/2008, que regulamentou a Lei nº 8.078/1990 (Código de Defesa do Consumidor) para fixar normas gerais sobre o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC).

No limite, entrei em contato com a empresa fornecedora do produto e fui informado que, na data da efetivação da minha compra, eles não mais dispunham em estoque o produto vendido.

Detalhe: fiz uma pesquisa na internet e nas redes sociais e descobri que ululam reclamações neste mesmo sentido contra o Submarino. Parece ter virado uma prática corriqueira da empresa esmagar o Direito do consumidor.

Resumindo a ópera da malandragem, adeus presente do Dia das Mães! Óbvio, sem embargo do pedido judicial de Tutela antecipada cumulado com Danos morais e materiais que eles vão tomar no lombo por impingirem bem mais do que um "mero aborrecimento", além de uma denúncia formal ao Ministério Público.

O Império da lei é uma urgência neste Brasil que permitimos existir ao naturalizarmos o CRIME como meio de convivência social.

É preciso REAGIR!

#SubmarinoNuncaMais

Helder Caldeira

Escritor, Colunista Político, Palestrante e Conferencista
*Autor dos livros “Águas Turvas” e “A 1ª Presidenta”, entre outras obras.

Mais de Helder Caldeira

Comentários

Notícias relacionadas